Antioxidantes Orais no Tratamento do Melasma – Perguntas das Laluxas (os)

22 de novembro de 2020

8 Comentários

Recentemente abri um caixa de perguntas no meu instagram e um dos assuntos mais perguntados foi sobre o uso de antioxidantes orais no tratamento do melasma.

Atualmente por meio de estudos científicos sabemos que os antioxidantes orais inibem a ação nociva dos radicais livres que causam o envelhecimento, pioram o melasma e podem até causar câncer de pele.

Para quem ainda não sabe os radicais livres são formados o tempo todo no nosso organismo e também através de fatores externos como estresse, falta de sono, má alimentação, uso exagerado de bebidas alcoólicas, poluição, doenças inflamatórias (o próprio melasma é uma doença inflamatória), cigarro, sol em excesso sem fotoproteção, calor e exposição à luz azul.

Vamos conhecer as perguntas que foram feitas pelas laluxas (os) que me acompanham também lá no instagram! A maioria das perguntas foi sobre Flebon/ Pycnogenol.

Pycnogenol

Tem que tomar antioxidantes o ano inteiro? Ou só no verão? 

Nosso corpo já possui seu próprio sistema antioxidante contra os radicais livres, mas nem sempre é suficiente para eliminá-los. Por isso, dependendo da avaliação recomenda-se indicar uma suplementação com antioxidantes orais com acompanhamento profissional.

No caso de quem tem melasma, o uso de antioxidantes orais associado à formulações clareadoras tópicas não agressivas é indispensável  para o sucesso do tratamento, principalmente no início e na fase de manutenção do tratamento do melasma que pode durar em média até 2 anos .

Se você não tem melasma e no seu dia a dia você consegue controlar sua produção de radicais livres com modificações na alimentação,  sono, estresse e cuidados adequados com a pele, então os antioxidantes orais podem ser apenas uma recomendação de uso e a sua suplementação pode ser feita através de uma alimentação adequada.

O Flebon é eficaz para o melasma? É o protetor oral?

Flebon possui em sua composição extrato seco de cascas de Pinus pinaster (Pycnogenol) que são substâncias que possuem alto poder antioxidante e esta propriedade auxilia na proteção da pele contra os radicais livres e consequentemente auxilia sim no controle do melasma quando associado a outros antioxidantes orais e clareadores tópicos não agressivos à pele.

O protetor oral é um produto natural, rico em substâncias com ativos antioxidantes e anti-inflamatórios que complementam e potencializam a ação do protetor solar solar tradicional de uso tópico (na própria pele).

Reforçando que apenas o uso somente do protetor oral (antioxidantes orais) não conseguirá controlar o melasma.

  • Para que serve o Pycnogenol?

Flebon®  é a marca que comercializa o Pinus Pinaster (Pycnogenol) no Brasil, então a resposta desta pergunta está logo acima.

  • Dose básica do Pycnogenol? 50?

O Pycnogenol tem outras indicações além do seu uso no auxilio do controle do melasma, então o cálculo da dose/diária depende bastante do problema a ser tratado e também de como será tratado.

Aproveito a pergunta e já oriento que uma dose/diária de 50 mg de Flebon está inadequada (dose abaixo) da recomendada para o tratamento do melasma.

  • Dose mínima do Pycnogenol necessária para ter o clareamento do melasma?

 O uso somente de antioxidantes orais não conseguirá controlar o melasma e a dose depende do tratamento indicado pelo profissional, ou seja, a dose recomendada é calculada de acordo com o objetivo do tratamento.

  • Qual o melhor antioxidante para o melasma?

O melhor antioxidante não temos e sim uma associação deles para uma melhor ação antioxidante, ou seja, no tratamento do melasma é recomendável o uso de uma combinação de ativos numa mesma formulação prescrita de forma individualizada.

  • Flebon é para varizes?

Segundo bula, o Flebon® é indicado no tratamento da fragilidade dos vasos e do inchaço (edema) de membros inferiores, na prevenção das complicações causadas por problemas circulatórios venosos e na prevenção da síndrome do viajante (a imobilidade a que se vê forçado o passageiro e que o predispõe à trombose).

O que você achou dessas perguntas e repostas?

Se você também tiver mais perguntas sobre o uso de antioxidantes orais no tratamento do melasma, pode me perguntar aqui ou no meu instagram @mairesousa.

Beijinhos e até o nosso próximo post!

 

 

8 Comentários em “Antioxidantes Orais no Tratamento do Melasma – Perguntas das Laluxas (os)

Mariana
23 de novembro de 2020 em 08:20

Adorei os esclarecimentos!!

Responder
Maire Sousa
23 de novembro de 2020 em 08:34

Oi, querida!

Antioxidantes quando bem indicados são bastante benéficos para nossa pele, para nossa saúde e para o nosso bolso.

Obrigada pela visita!

Beijos.

Responder
Milton Sousa
4 de dezembro de 2020 em 16:51

Mamãe, parabéns pelo seu Blog Laluxo!!!!

Responder
Maire Sousa
7 de dezembro de 2020 em 13:10

Oi, meu amor!
Mamãe ficou muto feliz com sua visita!
Beijos!

Responder
Maria Diomar Balbino de Souza
21 de outubro de 2021 em 23:18

Ele é eficaz para o melasma?

Responder
Maire Sousa
26 de outubro de 2021 em 10:01

Olá, Diomar!
Sim, principalmente se for associado (combinado) a outros ativos com outros mecanismos de ação.
Obrigada pela visita!

Responder
Renata
3 de fevereiro de 2022 em 21:54

A dermatologista me receitou só 1 comprimido do Flebon por dia, será que é suficiente?
Eu tomei picnogenol manipulado 75 mg dois por dia, só que me deu dor de cabeça, aí parei de tomar, agora comecei á tomar o Flebon hoje.Espero que eu não tenha nenhum efeito colateral.

Responder
Maire Sousa
16 de fevereiro de 2022 em 16:35

Olá, Renata!

Picnogenol = Flebon

A dose recomendada do Picnogenol isolado difere (diferente) da dose do Picnogenol associado a outros ativos.

Picnogenol 50mg/dia para tratamento melasma é considerado uma subdose, ou seja dose insuficiente para fazer o efeito esperado.

Preferencialmente indico combinação de antioxidantes para minhas pacientes de melasma. Converse com sua dermatologista sobre a opção de uma outra formulação combinada com outros antioxidantes sem o Picnogenol.

Obrigada pela visita!

Responder

Deixe uma resposta para Milton Sousa Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *